visorama_

motion design  |  www.visorama.tv [rj_]

há cerca de cinco anos a visorama vem trilhando o seu caminho no mercado de motion graphics, design gráfico e animação. nesse tempo, aventuraram-se por identidades visuais, videoclipes, desfiles de moda e até mesmo uma série animada de 52 episódios, sempre levando em conta suas raízes tipográficas. a dupla elesbão e haroldinho compõem metade do grupo visorama e apostam na idéia da animação como um conjunto artístico: sendo cada frame um trabalho de arte em si, englobando, além da tipografia, a fotografia, edição, enquadramento e, o mais importante, mensagem.

os caras têm como conceito de trabalho:
– organização do pensamento;
– criação da imagem;
– experiência do consumo.

é com isso que eles superam desafios a todo o momento. “atender uma agência como a africa é muito fácil. os caras trazem a criação praticamente pronta… foda é você atender diretamente o cliente como no caso do nasi (ex ira!).”

animação de cartelas, tipografia, fotografia, repertório, linguagem, softwares, são técnicas e ferramentas que os caras utilizam e assim, conseguem um equilíbrio entre diversão e trabalho.

dicas_

“o desing resolve um problema de comunicação”

1.) procure sempre superar as limitações – “… saca meu? não é porque você não manja flash que não pode fazer uma animação. use o corel que seja – mas faça animação!”

2.)
trabalho x trabalho – cada tarefa requer uma forma de pensamento, envolvimento, técnica, malícia.

3.)
detalhes – “é isso que vai te consagrar um cara diferente, com estilo… que vai te ajudar a conquistar clientes muito foda!”

4.)
forma x função – (lembra da aula do ricardo e do luiz?) é isso. não muda uma vírgula!

5.)
adaptar limitações – “… às vezes tu tens que captar uma cena e não tem tempo de ir até o local fazer as filmagens e tal. sei lá cara… tu tens uma limitação e o cliente de olho no relógio… fodeu cara! pega as coleções de boneca da vovó e monta o cenário, tira foto e resolve a parada cara… aliás, com a miniatura você consegue uma textura que na cena real não tem como captar. para fotografar miniatura, você utiliza macro – sacou o macete!?”

6.)
estudo da percepção.

7.)
tempo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *