Marketing… Marketing é uma disciplina que surgiu nos anos 40. A Segunda Guerra deu vida ao Marketing, cuja finalidade é criar valor e satisfação para o cliente, estabelecer relacionamentos lucrativos para vendedor e comprador. É um departamento que olha para atividades como estudo de mercado, estratégia, publicidade, vendas e pós-venda, aumento de receita, cria valor para o negócio.

Volta e meia, surge no mercado digital uma grande novidade. Dessas matadoras, bola da vez. Mas, como toda corrida do ouro, ela pode ser boa só para quem chega na frente. É para aliviar o risco X retorno do investimento que existe pesquisa científica e profissionais sérios.

Você já deve ter se deparado com algumas promessas de super lançamento de produtos na internet, radicais defendendo que só o Facebook é sinônimo de resultado… Deve ter verificado táticas (táticas?) semelhantes as práticas de marketing de rede multinível (MMN) como Amway, Herbalife e tantos outras. Fórmulas, receitas, passo a passo para ficar rico, ter sucesso.

A photo posted by Rogério Costa (@matofino) on

Calma! Antes, quero compartilhar um breve relato de oportunidades e iniciativas de um matuto

Manipulei algum dado em computador aos 11 anos de idade (1996). Gostei da novidade e continuei estudando tecnologia e cogitava ser programador. Cheguei a passar semanas codificando chipset com linguagem binária e montando circuitos elétricos para chegar em um produto: uma sirene! Vi sites como Submarino nascerem a partir do bloco de notas.

Paralelo ao mundo digital, vivenciei experiências práticas no agronegócio, disputava com colegas da escola para ver quem vendia mais picolés na rua (lá no MT) até que em São Paulo/SP, iniciei minha carreira como office boy em uma revistaria (adorava a seção de informática, menos o CD da AOL ou Kalunga que vinham encartados nas revistas ou jornais). Depois, aos 20 anos, de vendedor passei a gestão de uma pequena empresa onde o maior desafio foi atender os anseios de 15, 20 funcionários – alguns pais de família.

Desisti de ser programador e passei a investir forte em design, propaganda e empreendedorismo. Fazia diversos freelas de design gráfico, vendia alguns websites, experimentava as possibilidades do Meio Internet. Sempre inquieto, adaptando teorias, aprendendo com os erros, testando, procurando formas de atrair mais vendas ou fidelizar clientes no varejo. Fazendo.

Até 2010, foram mais de 40 cursos nas áreas de gestão, atendimento, <tecnologia/>, comunicação, design, search engine marketing (SEM/SEO) e afins, dentre eles uma formação em Programação Neurolinguística (PNL) e o seminário Empretec (ONU/SEBRAE). No primeiro trimestre da faculdade de Publicidade, mudei de profissão e topei ser estagiário de comunicação interna.

VISÃO GENERALIZADA DO MERCADO DIGITAL BRASILEIRO

A Internet consolidou-se como um dos três principais Meios de comunicação e entrega de mídia no Brasil. Por outro lado, segundo o IBGE, cerca de 95% das empresas brasileiras são pequenas ou médias (PME) e é, principalmente, por esta razão que o mundo digital é tão promissor tanto para ações de marketing como também para novos negócios. PME não dispõe de verba para investir em rádio e TV.

Com base em um levantamento que fizemos em 2012, somado há oito anos de olhar crítico sobre o perfil dos profissionais que atuam com Internet Marketing, estima-se que mais de 70% dessas pessoas migraram de outras áreas por identificar oportunidades como “realizar o sonho de ser empresário”.

Antes de montar minha agência, eu era gerente de TI em um hospital. Como ficava maior parte do tempo ocioso, comecei a ler blogs na internet e descobri o SEO (Search Engine Optimization). Resolvi sair do emprego e montar minha agência para oferecer serviços de otimização e anúncios. [E.G.]

Atender o empresariado brasileiro requer bagagem, conhecimento de causa sobre marketing e visão estratégica de negócios. Processos como pipeline de vendas que há várias décadas é discutido nas escolas superiores do Brasil, também. Será que nós, profissionais de Internet Marketing, estamos preparados para entregar resultados efetivos para nossos clientes?

Tecnicismo desenfreado. Por qual razão os empresários reclamam tanto de experiências ruins, por quê priorizar tanto buscadores como Google sendo que o cliente deveria estar no topo do checklist, por quê os eventos de marketing digital são em geral tão pobres de conteúdo – onde, geralmente, o foco está em “conteúdo de qualidade”?

É desconcertante sentar a frente de um diretor ou empresário e ouvir “esses caras de internet são todos picaretas”. O cliente sabe quando está sendo enganado.

LOBO DE WALL STREET vs. FÓRMULAS

Script para os pangarés. Se você não tem conhecimento de causa, seguir modelos prontos acaba sendo alternativa para manter contratos e ganhar dinheiro rápido. Mas será que marketing pasteurizado garante receitas saborosas, sustentáveis? Got think.

Cena do Filme O Lobo de Wall Street

Entendo que existem técnicas com eficácia comprovada e, claro, a publicidade é campeã na utilização de mecanismos que tem por objetivo fazer o consumidor comprar. Muito se dá pelos avanços da psicologia, pelas descobertas da ciência, também por observar milimetricamente os movimentos sociais, política, hábitos etc. No entanto, ORIGINALIDADE somada a informação é o mantra da publicidade — uma das ferramentas do Marketing e, para aplicá-la é necessário entender de Negócio. Afinal, como traduzir estratégia de negócio em comunicação digital? Será que a receita pronta sempre irá funcionar?

TRÊS PONTOS QUE CONSOMEM O DINHEIRO DE MUITAS PESSOAS:

#1. Propósito

Por qual razão você faz o que faz? O que te motiva pensar somente em dinheiro, ou não? Será que você é capaz de gerar valor para seu cliente, melhorar o mercado, Ser Humano e conectar-se com os valores do cliente para que possam crescer juntos? Onde estão os princípios de excelência? Seja autêntico no que você faz.

#2. Neuromarketing

É a união do marketing com a ciência, é considerado uma chave para o entendimento da lógica de consumo, que visa entender os desejos, impulsos e motivações das pessoas através do estudo das reações neurológicas a determinados estímulos externos. (Wikipédia)

Cuidado. Cuidado com os oportunistas que embalam capsulas de conhecimento e vendem promessas de riqueza fácil. Neuromarketing é nada mais que uma etiqueta de diferenciação que o mercado adotou para movimentar a economia.

Ser publicitário, estudar as Seis Leis da Persuasão (Cialdini, Robert), internalizar Programação Neurolinguística (PNL), devorar as técnicas de redação publicitária, CRM, funil de vendas, gatilhos mentais, além de táticas de guerrilha não me dá o direito de explorar o consumidor. Meus valores opõem-se a práticas contestáveis de muitos “Profissional de Marketing Digital” e não me interessa ser um Lobo de Wall Street.

Disciplinas como PNL, técnicas de persuasão e redação publicitária podem ser aprendidas facilmente em escolas confiáveis a preço justo e você poderá ser um excelente profissional de persuasão, ético, do bem. Estude mais antes de pensar em pagar alguns milhares de reais por um curso de neuromarketing. Quem questiona, evolui.

#3. Pasteurização

A diferenciação proposta pelo Marketing lá no pós guerra vale até hoje. Se você tem um por quê, sabe como e o quê fazer, desconfie de promessas milagrosas. Cuidado com produtos ou serviços enlatados.

Robotização funciona muito bem nas linhas de produção da indústria ou em contextos de computação em nuvem, por exemplo, onde é necessário escalar processos para aumento da produtividade e receita financeira. Quando se fala de pessoas, opte sempre pela personalização, pelo orgânico, flow, pela originalidade.

Afinal, táticas e ferramentas sem estratégia dificilmente geram valor. É comum que contexto, significado e repertório, somados ao Fazer Diferente consigam distanciar a sua estratégia da massa. Ou seja, a estratégia pode até ser a mesma em diferentes situações, contudo a forma como você aplica deve ser única e coerente com a necessidade de cada projeto/cliente. Use o mundo digital em favor dos seus negócios e pense como uma Coca-Cola. Seja diferente.

Diferenciação de Marketing no Mundo Digital

ENTÃO, SENHORAS E SENHORES,

Antes de sair atirando para todos os lados, calma.

Se você tem uma estratégia de negócio, um objetivo comercial, procure profissionais (agência um freelancer) que entendam do seu ramo, que sejam capazes de adaptar necessidades do mundo físico/real em comunicação digital consistente. Ao invés de buscar soluções prontas no mercado ou seguir os passos exatos indicados por gurus, monte a sua receita. Faça você o seu prato!

Estratégia consiste no plano, nos conceitos, no propósito, no resultado. É como um chef de cozinha pensa (objetivo): “vou fazer um prato tão delicioso que aquela pessoa irá lembrar da sua infância”. As táticas são ferramentas e técnicas que melhor adequam-se as suas necessidades e, no contexto online, formam sua plataforma de guerrilha (sim, fazer marketing no Meio Internet pode ser considerado guerrilha). São os ingredientes que o chef coloca na panela, cozinha, tempera etc. Por fim, a operação: fazer é a palavra de ordem. É o momento em que o chef monta o prato, decora, serve o cliente. Busque oferecer a melhor experiência possível. Encante.

No vídeo abaixo, Bruno Ávila provoca uma profunda reflexão sobre essa pasteurização e questiona o grau de maturidade de profissionais que, infelizmente, sujam a imagem do mercado digital e atrapalham os que realmente estão empenhados em desenvolver um bom trabalho. Abaixo as fórmulas, as receitas, a preguiça, a cópia, a burrice.

Há quem faça escola no balcão de loja, por exemplo. Vender é uma arte e antes de trocar produto/serviço por dinheiro é coerente gostar de ser vendedor. Profissionais sérios estão comprometidos com o desenvolvimento e a cada dia, na prática, aprendem com seus clientes o que é gestão de negócios e viabilizam estratégias consistentes que de fato impactam na valorização de marcas, visibilidade, aumento de produtividade, crescimento de receita etc.

Aproveitar oportunidades fora do comum no mercado deveria ser uma característica empreendedora comum, porém, nem todos têm essa habilidade. Busque informações sempre, use sua sabedoria para tomar decisões e monitore sistematicamente seu projeto de Internet Marketing.

Portanto, caro empresário, acredite: estratégias de marketing no ambiente online funcionam sim e bom seria que fossem tratadas no médio longo prazo. Nada de mágica! Não existe mágica.

Tenha paciência. Construa algo com a sua marca.

Participe da discussão

1 comentário

  1. Rogério,
    Que belíssimo desabafo, hein?! Nos faz pensar sobre o que realmente inovador estamos produzindo, ou embalando e pasteurizando soluções velhas com papéis novos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *