Investimento na produção de conteúdo ajuda construir marcas e reputação com clientes

Com os novos gostos do público, e novos formatos de consumo, as estratégia de comunicação tiveram de se adequar as tendências do mercado, inclusive sua forma de se relacionar com seu segmento alvo.

Em nossos dias, utilizar os tradicionais meios midiáticos já não são mais suficientes para promover efetivamente uma marca, além do mais, o custo/benefício já não é tão vantajoso como fora a tempos atrás.

Em virtude da tecnologia, o conceito de comunicação empresarial se viu na necessidade de adotar medidas condizentes ao que o consumidor desejava, eis então que surge no mundo dos negócios a estratégia de conteúdo.

Investimento no relacionamento com clientes

Com abranger do acesso a internet, número majoritário das pessoas buscam online informações que auxiliem sua decisão de compra, desde comparação de preços, características do produto/serviço, experiências de outros consumidores, bem como, o conteúdo que a instituição disponibiliza, isto é, vídeos, matérias e temas de interesse, de modo a entreter seu público na web, ao mesmo tempo que os aproxima da marca.

Empregar este tipo de estratégia [marketing de atração por conteúdo] vem ganhando mais e mais notoriedade no mercado, uma vez que as inúmeras ferramentas do meio digital possibilitam agilidade, alcance absurdo e custo inferior ao métodos clássicos de comunicação, e igualmente se comprovou com potente conversor de leads.

Mais relevante do que aparecer no Google é estabelecer relacionamento com o cliente, antes e depois da venda

 

Apostar neste método se tornou resposta chave para a conquista de novos clientes, fortificar o relacionamento e promoção do nome da empresa, levando as mesmas a investirem progressivamente. Segundo o especialista Rafael Rez, cerca de 90% da companhias B2B norte-americanas abraçam a ideia do marketing de conteúdo, já no Brasil, as instituições começam a reconhecer sua eficiência.

“A maioria das empresas investe entre R$ 1.500 e R$ 6.000 mensais em Marketing de Conteúdo, principalmente se considerarmos quem fatura até 1 milhão por ano. Os estudos de marketing indicam que as empresas devem dedicar em torno de 6% do seu faturamento total em marketing. Eu acredito que o investimento em marketing de conteúdo deve representar algo entre 25% e 50% desse total, mas essa porcentagem varia muito de acordo com o segmento de cada empresa, ramo de atuação e abrangência geográfica.”, afirma Rafael Rez – especialista e promoção de marcas por meio de conteúdo.

Em estudo realizado pela Econsultancy, o marketing de conteúdo se tornou destaque no campo de ações e tendências institucionais, e dentre as respostas, 39% dos participantes o apontaram como preferência estratégica em 2013.

Quando falamos desta metodologia, o Branded Content (conteúdo da marca), crescentemente tem sido aderido pelas organizações, pois, com perícia vincula valores a missão da marca, difundindo conteúdo capaz de atrair, cativar por meio de gatilhos emocionais, criar e estreitar laços de relacionamento com clientes, além de, instigá-los a propagar o trabalho da instituição.

Qualificando o processo de funil, esta medida também é em demasiado favorável as empresas, pela razão de possibilitá-la lapidar a própria imagem, segmentar a mensagem ao público de interesse, e o engajar no decorrer das etapas de compra, conquistando sua confiança e fidelidade, além disto, beneficiar seu posicionamento nas buscas do Google.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *