Faculdade incentiva a Inclusão Digital

Ações de inclusão digital que são propagadas por iniciativas privadas e governamentais nem sempre acertam o objetivo ideal. Promover o acesso a informação é muito simples e atrai muita gente. O desafio consiste em fazer com que as pessoas transformem informações em conhecimento.

Por definição, a informação é constituída por  dados, fatos, histórias, conceitos. O conhecimento é um processo individual que eu chamo de formação humana. Ou seja, quando o indivíduo entende e internaliza uma informação, transcende a barreira que limita a aprendizagem criativa.

É com este conceito que muitos projetos sociais ganham vida, incentivando pessoas a buscarem objetivos que antes eram apenas sonhos.

Visão de Futuro + Inclusão Digita;

As igrejas estão a cada dia descobrindo novos canais de comunicação com seus fiéis, até pouco tempo restrita aos cultos semanais.  Novas ferramentas de relacionamento, como a Internet, já é realidade neste segmento. E a capacitação para lidar com as novas tecnologias tem sido fundamental para o avanço desse diálogo.
Atenta aos anseios e necessidades da sociedade religiosa, a Faculdade Cantareira – localizada no Bairro do Belém em São Paulo, a única com o curso de agronomia na região metropolitana de São Paulo – em parceria com a Pastoral da Comunicação (Pascom) da Arquidiocese de São Paulo, oferece cursos de informática gratuitos direcionados a jovens fiéis, agentes pastorais, paroquianos desempregados e outras pessoas direta ou indiretamente envolvidas com o trabalho religioso.
O objetivo da iniciativa é capacitar o maior número possível de jovens, proporcionando-lhes o domínio de ferramentas práticas, que sejam úteis tanto no estreitamento das relações entre as igrejas e seus fiéis quanto para o início de suas carreiras.

A Faculdade Cantareira, localizada no bairro Belém, zona leste de São Paulo, desenvolve um projeto de inclusão digital que atende jovens e pessoas da melhor idade. A proposta da instituição é trabalhar a informação de maneira organizada e estruturada para que os alunos, através da prática, adiquiram conhecimentos e assumam novas interpretações da realidade, dos fatos e dos objetos em geral.

Como as igrejas estão a cada dia descobrindo novos canais de comunicação com seus fiéis, até pouco tempo restrita aos cultos semanais, novas ferramentas de relacionamento estão sendo adotadas. Capacitar pessoas para lidar com as novas tecnologias tem sido fundamental para o avanço desse diálogo.

Atenta as necessidades, a faculdade mantém parceria com a Pastoral da Comunicação (Pascom) da Arquidiocese de São Paulo, oferecendo oficinas de informática gratuitas direcionadas a jovens, agentes pastorais, paroquianos desempregados e outras pessoas direta ou indiretamente envolvidas com o trabalho das igrejas.

Trabalho de aluno, realizado durante a oficina.
Trabalho de aluno, realizado durante a oficina.

As oficinas são ministradas por alunos do curso de publicidade e propaganda, com apoio dos professores. Leandro Dias, um dos facilitadores do projeto e que já trabalha na área diz:

Como a maioria dessas pessoas irão atualizar o site da igreja onde congregam, as oficinas tem um foco no tratamento de imagens e manipulação de páginas em HTML. Também ensinamos boas práticas de composição e diagramação de impressos, para que elas agreguem qualidade aos jornais paroquianos.

O objetivo da iniciativa é capacitar o maior número possível de pessoas, proporcionando-lhes o domínio de ferramentas práticas, que sejam úteis tanto no estreitamento das relações entre as igrejas e seus fiéis quanto para o início de suas carreiras.

Turma d oficina de Web Design que aconteceu em junho de 2009, gratuitamente.
Turma da oficina de Web Design / junho de 2009.
Outra turma da oficina de Web Design
Outra turma das oficinas de Web Design / 2008.

O projeto também incentiva alunos da rede pública de ensino.

Muitas das vezes o jovem não tem sequer uma perspectiva de vida melhor, de querer cursar uma universidade… Quando nós o convidamos para as oficinas, ele (jovem) sente e visualiza toda a estrutura que uma boa escola pode oferecer, utiliza os mesmos equipamentos que os universitários usam e aprende na prática. Com isso, este mesmo jovem muda os pensamentos e ganha uma visão de futuro completamente diferente – começa a criar metas para o futuro.

[nggallery id=2]

A ideia de promover a inclusão digital deu tão certo, que alunos e professores de outros cursos também entraram na onda de oferecer conhecimento e benefícios para sociedade.

Para saber mais sobre os projetos, basta acessar o site ou blog da faculdade.

Participe você também

selo2_amigosdoplanetaFica aqui um convite para que você participe da campanha divulgando a possibilidade de doação de equipamentos de informática usados e ainda em condições de uso para as instituições que necessitam de equipamentos. O destino destes aparelhos pode ser um bom projeto e para conhecer os melhores de cada região, basta participar da nossa Blogagem Coletiva Inclusão Digital Eu Apóio!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *