Olá meus amigos(as)! Mais uma semana se aproxima pela frente. Hoje é sábado e e nos encaminhando para o final do mês de março. Parece que passa rápido não é mesmo? Segue um texto para iniciarmos a segunda-feira. Vejam: Acreditar “Se você acredita que pode, você tem razão. Se você acredita que não pode, você também tem razão”. (Henry Ford)Vivemos em um mundo de ilusões e interpretações que acreditamos serem realidade. Como os personagens de Matrix, jamais vemos as coisas realmente como elas são. Antes Continue

1. Arte de fazer aparecer fantasmas, numa sala escura, com ajuda de ilusões de óptica;2. Abuso dos efeitos produzidos por meios sobrenaturais ou extraordinários em literatura e nas artes em geral;3. Quimera, utopia;4. Falsa aparência;5. Conjunto de Visões fantásticas, irreais. fantasma s. m.do Lat. phantasma < Gr. phántasma, visão s. m.,imagem ilusória;espectro;avantesma;avejão;visão aterradora;sombra apavorante;alma do outro mundo;quimera;fantasia. quimera s. f. do Lat. chimaera < Gr. chímaira s. f.,monstro fabuloso com cabeça de leão, corpo de cabra e cauda de dragão;fantasia;utopia;ilusão;sonho;absurdo. utopia s. f.do Gr. ou, Continue

Hoje conheci e adicionei mais uma palavra ao meu vocabulário. Batelada. Éh! Isso mesmo. O termo foi utilizado em uma aula de sociologia… Algo bem curioso para um iniciante no assunto. Interessante! batelada s. f. s. f., a carregação de um batel; grande quantidade. batel s. m. do ant. Fr. batel s. m., pequeno barco; canoa, bote.

Atendendo a pedidos da galera da faculdade, aqui vai um breve tutorial de HTML para aqueles que faltaram na aula do prof° Luis Vicente (25/02/08). 1. O que é o HTML? HTML significa ‘HyperText Markup Language’, e é uma linguagem universal destinada à elaboração de páginas com hiper-texto, como o nome indica. O conceito de hiper-texto é bastante simples: Certos itens de um documento contêm uma ligação a outra zona do mesmo documento ou, como é mais vulgar, a outros documentos. A principal aplicação do Continue

“O nosso cérebro é doido !” De aorcdo com uma peqsiusa de uma uinrvesriddae ignlsea, não ipomtra em qaul odrem as Lteras de uma plravaa etãso, a úncia csioa iprotmatne é que a piremria e útmlia Lteras etejasm no lgaur crteo. O rseto pdoe ser uma bçguana ttaol, que vcoê anida pdoe ler sem pobrlmea. Itso é poqrue nós não lmeos cdaa Ltera isladoa, mas a plravaa cmoo um tdoo. Sohw de bloa. Fixe seus olhos no texto abaixo e deixe que a sua mente Continue

Hoje trago um texto excrito por Nizan Guanaes para uma formatura, paraninfo que era de turma na Faap. Olhe só o que este publicitário escreveu…Deve ser por isso que ele é um dos melhores redatores do mundo e sócio da agência DM9. Merece ser lido …. SUCESSO Dizem que conselho só se dá a quem pede. E, se vocês me convidaram para paraninfo, estou tentado a acreditar que tenho sua licença para dar alguns. Portanto, apesar da minha pouca autoridade para dar conselhos a quem Continue

Arte rupestre, pintura rupestre ou ainda gravura rupestre, é o nome que se dá às mais antigas representações pictóricas conhecidas, as mais antigas datadas do período Paleolítico Superior (40.000 a.C.) gravadas em abrigos ou cavernas, em suas paredes e tetos rochosos, ou também em superfícies rochosas ao ar livre, mas em lugares protegidos, normalmente datando de épocas pré-históricas. Na vida do Homem pré-histórico tinham lugar a Arte e o espírito de conservação daquilo de que necessitava. Estudos arqueológicos demonstram que o Homem da Pré-História (a Continue

Esta peça publicitária foi genial! É isso que valoriza toda a dedicação e criatividade aplicada em um trabalho que ao final de tudo, faz com que pessoas guardem o impresso por achar o máximo! Ou seja, é algo que com certeza transcendeu as expextativas e agora é objeto de desejo.

Denomina-se gramática a reunião ou exposição metódica dos fatos de uma língua. Quando tal estudo abrange, simultaneamente, diversas línguas congêneres, isto é, filiadas à mesma origem e, portanto, semelhantes, ele constitui o que se denomina “gramática geral” (ou comparativa). Se a gramática visar apenas aos fatos de uma língua particular, ela será “gramática particular”, que passará a chamar-se portuguesa, francesa, inglesa etc., se visar exclusivamente da origem de uma língua e dos processos de sua formação se chamará “gramática histórica”, se, porém, visar os fatos Continue

O Profº Luiz Vicente falou muito bem sobre os itens abaixo que estão inseridos em nossa cultura. São conceitos que vem desde a revolução industrial, onde pessoas imaginavam que com o aparecimento das máquinas, seria possível desfrutar melhor o tempo – ir a feira, dançar, etc. Aconteceu exatamente o contrário. O homem passou a trabalhar mais, no ritimo das máquinas. E é exatamente o que acontece nos dias atuais. 1.) Conversando sobre Interativida (achei este site muito legal) Blog É um meio de comunicação bastante Continue

Uma camera pinhole é uma máquina fotográfica sem lente. A designação tem por base o inglês, pin-hole, “buraco de alfinete” e é usada para referir a fotografia estenopeica. Este tipo de fotografia é uma prática econômica e simples pois utiliza uma qualquer caixa em que a luz não penetre. A existência de um pequeno furo, estenopo do grego stenopo e que em português permite designar este tipo de fotografia por Fotografia Estenopeica. A pinhole consiste numa maneira de ver uma imagem real, através de uma Continue

repertório / s. m. do Lat. repertoriu s. m., compilação de várias matérias metodicamente dispostas, para uso particular; colecção de histórias, anedotas, ditos, etc. ; colecção ou compilação de matérias relativas à legislação; calendário; índice; conjunto das peças representadas por uma empresa teatral ou por um actor; lista ou conjunto de notícias, obras musicais, de peças dramáticas e de outros assuntos; pessoa perita em certos e múltiplos assuntos. contexto / s. m. do Lat. contextu s. m., encadeamento das ideias de um texto; contextura; entrecho; Continue

A camera obscura (Lat. câmara escura ou câmera escura) foi uma invenção no campo da óptica e um dos passos mais importante que conduziram à fotografia; ainda hoje os dispositivos de fotografia são conhecidos como “câmaras“. Simplesmente faça uma você mesmo construindo uma caixa e perfurando um buraco em uma das paredes – voilà! (veja camêra pinhole para os detalhes de construção) Com um abertura pequena o suficiente, a luz de apenas uma parte da cena pode acertar qualquer parte específica da parede de trás; Continue

garatujar v. tr. e int. garatujar do It. grattugiare, esfarelar com ralo v. tr. e int., cobrir com garatujas; fazer garatujas; rabiscar.

Técnica: Lápis Grafite / Sulfite A3 1º semestre 2006